capa_ana

Em entrevista concedida ao jornal A Tarde na edição publicada nesta segunda-feira (11/9), a diretora-executiva do Grupo Aratu, Ana Coelho, falou dentre os outros assuntos sobre os desafios enfrentados pela emissora no momento de recessão econômica, desligamento do sinal analógico na Bahia e convergência de mídias.

Confira abaixo a entrevista:

Quais os desafios enfrentados pela Aratu diante da crise que afeta o país?
O desafio é conseguir oferecer conteúdo em quantidade e qualidade, mesmo com restrições orçamentárias. Acreditamos que nos tornaremos vitoriosos nessa briga complexa e acirrada se conseguimos carimbar o nosso conteúdo com o selo da veracidade. Aliado a isso, buscamos fazer “mais, melhor e por menos”, o que nos possibilita continuar criando e inovando em pleno momento de crise. A recessão pode estar nas finanças do país, mas não nas ideias aplicadas por nossos colaboradores.

Para você, a convergência das mídias é o caminho para o futuro da TV?
Entendemos que somos menos uma emissora de TV e mais uma produtora e distribuidora de conteúdo. Queremos oferecer conteúdo local de qualidade para os nossos clientes na plataforma que ele preferir, atendendo às especificidades de cada mídia. Acreditamos que, mais do que convergência, estamos aprendendo a fazer um novo conceito de conteúdo multiconectado e multifacetado.

Como a Aratu tem se preparado para o desligamento do sinal analógico?
A Aratu está cumprindo rigorosamente o cronograma válido para as emissoras da Bahia. Foi feito um investimento para adaptar todo o nosso parque tecnológico a essa nova etapa e já operamos pelo canal 4.1.

Fonte: Portal Aratu Online